jump to navigation

A rádio novela do Aguiar 13/06/2009

Posted by ctaeseducpa in Uncategorized.
trackback

Senhor X e o Professor Aguiar nas ondas do Rádio

O Prof. Aguiar, o buraco negro das telecomunicações, estava se preparando para dormir. Vestia um Pijama flanelado, pantufas modelo clássico bordado personalizado com a frase sou Professor, luvas de lã e um cachecol de tricô envolto em seu pescoço todas as peças em tom violeta que, segundo pesquisas da cromoterapia, favorece um sono reparador.

Sorvia lentamente um chá de erva cidreira, quando sua mãezinha, em roupa também de dormir, adentrou em seu quarto dizendo: “Aguiar, aquele sujeito estranho da motocicleta chegou”. Ele respondeu serenamente, por favor, peça que entre.

A mãezinha observou atentamente aquele homem. Quem seria? Usava Jaqueta Puma Ferrari Sweat, Calça Nike Polywarp , Tênis Reebok The Strong, Capacete Mirage Peels Novo F21 F-21 Lançamento Moto Viseira. Além da viseira um óculos Ray-Ban 3211-007 (por quê?) e nas costas uma Mochila Nike Campus Blocked MD. Era uma roupa ou um disfarce? Perguntava-se a mãezinha intrigada.

homem da moto

O homem suspeito adentrou sem pronunciar uma única palavra. A mãezinha sorrateiramente observara ele colocar em cima da escrivaninha do Aguiar um envelope amarelo com as seguintes palavras: “TOP SECRET”. Viu, também, a máquina fotográfica Rolleiflex com filtros 1920, há muito não usada por Aguiar. Havia, ainda, um carimbo, uma almofada de tinta, selo contendo a marca dignidade com ensino público de qualidade e a máquina Olivetti. O homem misterioso não permanecia mais do que quatro minutos no aposento de seu filho.

Pensou com suas púlices do jogo de azar: “Será que meu filhinho voltou a fazer aqueles serviços”. Não… mil vezes não!!! Desde a década de 50 na “guerra fria” havia parado com essas atividades. Por que retornaria agora? O quê estaria por trás daquela relação com esse sujeito misterioso? E essa cumplicidade toda? Por que seu querido filhinho não compartilhava com ela esse segredo?

Sempre fora franco. Sua mãezinha não conseguia compreender!

Era a quarta vez na semana que aquele ser esquisito visitava o Prof. Aguiar. Entrava mudo e saia calado! Nem um aceno de mão para ela, a ignorava quando lhe oferecia um chá, café, mingau, bolinhos, etc… Sentia sua cabeça frigir. Eram os bobs, os grampos que estavam muito apertados.

A mãezinha curiosa adentrou novamente no quarto, e começou a indagar sobre o tal sujeito. O prof. Aguiar incólume dissimuladamente tentou ligar o rádio presente de Ailton Rocha um de seus discípulos de Bragança, um rádio moderno de 1947, mas não conseguiu. Era muito sofisticado !!!!!!

Dirigiu-se até seu baú hermeticamente fechado de onde retirou delicadamente o Rádio Detrola Modelo 571 (1946-47) Am-police. Sintonizou a freqüência de seu programa favorito, atualmente sua menina dos olhos: “O Aluno Repórter”. Que programa admirável! Supimpa!

radio3

Escute!!

http://sites.google.com/site/musicasparaoblog/Home/vinheta_aluno_reporter.mp3?attredirects=0

Rádio, palavra mágica para o Prof. Aguiar! O Cérebro lustroso, lembrou do início da história do rádio marcado por grandes polêmicas entre ele, o italiano Guglielmo Marconi o e seu grande amigo e colega de invenção o Prussiano Nikola Tesla no fim do século XIX.

Nikola Tesla e o Prof. Aguiar foram os verdadeiros inventores do radio em detrimento a Guglielmo Marconi que se utilizou de uma invenção patenteada por ambos, em 1879, para enviar um sinal de rádio através do canal da mancha.

Pobre Tesla teve uma vida de desgosto e tribulações, seus trabalhos foram plagiados por Thomas Edison. Tesla era o grande defensor da corrente alternada (AC), duelou por longos anos com Edison, o defensor da corrente continua (DC) que fez o possível para sabotar Tesla. Edison chegou ao cúmulo de convidar o nosso gênio indomável para assistir a execução de um condenado utilizando a invenção de Tesla e Aguiar.

Tesla e o Prof Aguiar inventaram o motor a indução, assim como o sistema de energia alternada e são ainda os verdadeiros “pais do rádio”, entretanto nenhuma dessas invenções trouxeram os seus nomes. Tesla morreu, mas o transcendental Prof. Aguiar continua com todo o vigor.

Apesar desse pequeno incidente, o bravo Aguiar continuou com suas pesquisas no Brasil. Conheceu Roberto Landell de Moura (1861-1928) padre católico e inventor brasileiro, considerado um dos vários “pais” do rádio, junto com o prof. Aguiar. Foram pioneiros na transmissão da voz humana sem fio (radioemissão e telefonia por radio). Pelo seu pioneirismo e indicado por Aguiar o Padre Landell foi escolhido o patrono dos radioamadores do Brasil.

O êxito das experiências do Padre Landell e do prof. Aguiar não tiveram a devida acolhida pelas autoridades brasileiras da época. Quantas e que amargas decepções experimentou Padre Landell ao ver que o governo e a imprensa do país, em lugar de o alentarem com aplauso, incentivando-o a prosseguir na carreira triunfal, fez pouco ou nenhum caso de seus notáveis inventos. O Prof. Aguiar, sempre amigo não o deixava desistir e usava técnicas psicológicas para aumentar sua auto-estima.

Landell não conseguiu financiamento privado ou governamental para continuar as suas pesquisas nem para construir equipamentos de rádio em escala industrial. Apesar dos incentivos do prof Aguiar Landell adoeceu e desistiu de seus inventos.

No ano de 1922 ocorreu no Rio de Janeiro (por iniciativa de Aguiar) uma grande feira internacional, que recebeu visitas de empresários americanos trazendo a tecnologia de radiodifusão para demonstrar na feira, que nesta época era o assunto principal nos Estados Unidos e em Bragança.

Para testar o novo meio de comunicação, os americanos instalaram uma antena no pico do morro do Corcovado. A primeira transmissão radiofônica no Brasil foi um discurso do presidente Epitácio Pessoa (redigido por Aguiar), que foi captado em Niterói, Petrópolis, na serra fluminense, em São Paulo e no mirante de Bragança, onde foram instalados aparelhos receptores.

Roquette Pinto, membro do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, da Academia Brasileira de Ciências, da Sociedade de Geografia, da Academia Nacional de Medicina, da Associação Brasileira de Antropologia (da qual foi presidente de honra) e de inúmeras outras associações culturais, nacionais e estrangeiras e um dos fundadores do Partido Socialista Brasileiro, ficou bastante interessado com a transmissão.

roquette pinto

Sabedor das experiências do Prof. Aguiar na área das comunicações veio até Bragança para solicitar sua ajuda, pois queria convencer a Academia Brasileira de Ciências a comprar os equipamentos. Ambos elaboraram um documento, sendo criada, então, a primeira rádio do país, a Rádio Sociedade do Rio de Janeiro, fundada em 1923, e dirigida por Roquette Pinto – atual Rádio MEC.

Em Belém, o Prof. Aguiar criou um grupo junto com Roberto Camelier, Eriberto Pio e Edgar Proença, e fundaram a Rádio Clube, em 22 de abril de 1923. Os integrantes do clube pagavam mensalidades fixas para manter a Rádio, mas o Prof. Aguiar por ser o principal articulador era dispensado da colaboração (ou seria porque nunca tinha dinheiro?). A publicidade nas rádios somente seria regulamentada em 1932.

No início das operações tocava-se discos emprestados por comerciantes que em troca tinham seus nomes divulgados. Da programação participava quem soubesse tocar um instrumento, cantar ou declamar poesias. As sessões eram à noite e ao vivo.

A Rádio Clube, em seu apogeu, era conhecida como A Poderosa. Durante o Carnaval, a Clube promovia batalhas de confete com cobertura ao vivo, eram famosas também as festas organizadas pela rádio. Nesse período, Belém recebeu, a convite do Prof. Aguiar, os mais famosos artistas, entre eles Carmen Miranda, Silvio Caldas, Dalva de Oliveira, Carlos Galhardo e Orlando Silva.

carmem-miranda_140

O declínio da rádio PRC5, fundada por Aguiar, começou com a chegada da televisão ao Pará, a concorrência com a Rádio Marajoara e, nos anos 70, da FMs, a fizeram perder audiência.

O mestre dos mestres pensou com seus botões: Quantas estórias! Quantas lembranças!

Lembrou quando fundou a Rádio Educadora, em 1961,  juntamente com Dom Eliseu Maria Corolli, então bispo da Prelazia do Guamá (hoje Diocese de Bragança).  O bispo pediu pra Aguiar  ir a Bragança porque sentiu a necessidade de fundar uma rádio para facilitar o processo de evangelização e  levar a educação a todos os moradores desta região da Amazônia.

Assim  nasceu a Rádio Educadora de Bragança. Antes da criação da  rádio pelo professor, Dom Eliseu e os demais padres barnabitas só tinham acesso às comunidade no costado dos cavalos e jumentos. Muitas eram as dificuldades para chegar às mais longínquas comunidades. Era comum o contato com as tribos indígenas que habitavam nesta região. A necessidade de encurtar as distâncias fez nascer esta rádio que, prestes a completar seus cinquenta anos, continua a levar a informação ao povo destas bandas do Pará. Que saudade daqueles tempos!!!!!!

O Prof. Aguiar deu um sorriso, depois algumas gargalhadas.

E Bragança? Quanta insanidade! Só ele mesmo para causar tanto estapafúrdio naquela cidade linda! Foi uma cena bizarra – A inauguração da rádio Difusora na cidade pelo Prof. Aguiar. Nesta época Beto Amorin e Ailton Rocha ainda usavam calças curtas. Que garotos criativos! Tão jovens, verdadeiros gênios. Claro, só poderiam ser seus pupilos!

No dia em que o profº Aguiar foi expor sua invenção na escola hoje dirigida pela diretora olhos de esmeralda, foi o maior pandemônio. Aquela caixa de madeira que falava e cantava deixou em polvorosa a população de Bragança. Seria o fim do mundo? Um ser de outro planeta? Uma coisa do Demo?Afinal o que era aquela geringonça?

Beto e Aylton ficaram tão assustados com a experiência do renomado professor que só foram encontrados dois dias depois no povoado de Urumajó, hoje denominado de Augusto Corrêa.

professoresbraganca

Abruptamente, sua mãezinha adentrou no quarto, ainda embatucada com a história do sujeito estranho, que ela denominara Sr.X. Macaca Velha, como costumava dizer, não dormiria enquanto Aguiar ficasse calado, mais uma vez o professor disfarçou, sintonizou o rádio na sua freqüência predileta e escutou o programa que tanto adora.

Escute

http://sites.google.com/site/musicasparaoblog/Home/TrechoProgramaAlunoReporterparaoAGUIAR.mp3?attredirects=0

____________________________________________________________________________________________

Comentário do Bdp: Aguiar vives em um mundo que não existe mais. És um Dom Quixote  procurando poesias e sonhos em um mundo que preferiu abolir a sensibilidade.

_____________________________________________________________________________________________

Comentários»

1. Beto Amorim Bragança PA - 13/06/2009

Amado Mestre, Prof Aguiar. Temos uma dívida muito grande com o Sr. Não conseguiríamos chegar até seu rádio, por conseguinte, aos ouvidos de sua doce mãe, e acumulado tantos conhecimentos, se não fosse por sua luta em favor desta sua invenção maravilhosa: o rádio….
Seus pupilos Beto Amorim e Aylton Rocha.
PS: Não pense em descansar, Prof Aguiar, esta sociedade ainda dependerá por muito tempo de sua extraordinária capacidade.

2. Socorro Braga - 13/06/2009

Prof Aguiar, estou colecionando suas crônicas para transforma-las em histórias em quadrinhos,num projeto voluntário com crianças de área de risco e ansiosa para que as chuvas fiquem menos intensas e assim me deleitar com o Jerico Digital.
Muitos abraços


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: